domingo, 18 de dezembro de 2011

CONTRATAÇÃO DA SESAB NA MIRA DO CONSELHO

TCE: conselheiro acusa Sesab de firmar contratos irregulares

Sesab teria contratado médicos por intermédio da Fundação José Silveira sem licitação nem concurso público, desde 2007.



Acusações de irregularidades em contratos celebrados entre a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) e a Fundação José Silveira (FJS) estendeu por mais de três horas a sessão ordinária no Tribunal de Contas do Estado (TCE), nesta quinta-feira (15).
As denúncias são do conselheiro Pedro Lino, que levou para o pleno um relatório no qual acusa a Sesab de contratar médicos por intermédio da FJS sem licitação nem concurso público, desde 2007. A lei só permite a dispensa de licitação em contratações emergenciais de, no máximo, 180 dias.
Ainda segundo Lino  também foi detectado um sobrepreço de quase R$ 60 milhões, referentes à cobrança de impostos indevidos. “A fundação não pode incluir os impostos no contrato porque ela é uma entidade beneficente e não precisa pagar esse imposto. Tanto que esses comprovantes de pagamento nunca foram apresentados”, explicou.
A coordenadora de controle interno da Sesab disse não ter elementos para contestar a denúncia.  “Fiquei sabendo do teor do relatório agora, tenho que voltar para a secretaria para verificar os dados”. Depois de prorrogar a sessão duas vezes, os conselheiros não conseguiram encerrar a discussão e o relator acabou retirando o processo de pauta para decidir se encaminha direto ao Ministério Público Estadual ou retoma o julgamento na semana que vem.
CORREIO

VISITA AO HGRS

Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal visitou o HGRS
A situação no setor de emergência do Hospital Geral Roberto Santos é caótica. Tanto, que justificou a visita do deputado federal Domingos Dutra, da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, no dia 18 de novembro. Acompanhado do secretário Jorge Solla e de representantes do Sindsaúde-Ba, Sindimed, Cremeb, OAB-Ba e Ministério Público Federal, ele constatou, entre outros problemas, a superlotação, com pacientes sendo atendidos inclusive nos corredores.
“Essa visita mostra que a mobilização dos trabalhadores e do Sindsaúde pela valorização dos servidores e para acabar com o atendimento nos corredores está tendo eco. A presença da Comissão de Direitos Humanos mostra que esta já é uma questão de dignidade humana”, frisou Inalba Fontenelle, diretora da entidade e funcionária da unidade. Segundo ela, a insatisfação é grande no HGRS pela falta de pessoal e pelo estresse causado pela sobrecarga de trabalho em relação à enorme demanda. Além, observou, “da falta de implantação do Plano de Carreira”.
A mobilização dos servidores do setor de Emergência do HGRS e do Sindsaúde para acabar com o atendimento de pacientes nos corredores foi intensa nos últimos meses. A situação expõe os trabalhadores a péssimas condições de trabalho, deixando-os ainda mais vulneráveis à insatisfação de pacientes e acompanhantes com a superlotação.
Diante de tanto estresse e sobrecarga de trabalho, os servidores adotaram o lema “Tolerância zero!”, dando um basta ao atendimento nos corredores. Em reunião realizada no dia 4 de novembro, com a presença de trabalhadores do setor e o Serviço Social, foi reafirmada a necessidade de reuniões constantes na Emergência para garantir, sobretudo, o fim do Corredor “E”, que extrapola a estrutura física do setor, funcionando como acesso a outras dependências do hospital.
O quadro ainda é crítico e a mobilização está sendo mantida para solucionar outras pendências como agilidade no atendimento, suporte técnico e ampliação do quadro de profissionais das diversas categorias. Serão realizadas reuniões quinzenais, no turno da tarde, para facilitar a participação de todos.

SINDSAÚDE.COM 

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

ATENÇÃO 6º DIRES

AMANHÃ, QUARTA-FEIRA 07/12/2011 AS 15Hs SERÁ A PERÍCIA.

LOCAL: HGLVF 

PROCEDIMENTO: CANDIDATOS DEVERÃO IR NA 6º DIRES PEGAR UM OFÍCIO E COM ESTE DOC EM MÃOS SERÃO SUBMETIDOS A PERÍCIA NO HGLVF. 

DÚVIDAS (73)3634-3342 6ºDIRES  

(A 6º Dires fica na avenida Canavieiras nº 253 Centro Ilhéus antigo SESP)

ATENÇÃO NOMEAÇÃO PARA 13º DIRES JEQUIÉ



ATENÇÃO!!! SAIU NOMEAÇÃO HOJE

Saiu hoje nomeação dos já convocados para a 13º DIRES.


Esta no Diário Oficial, no menu EXECUTIVO sub-menu  DECRETOS

sábado, 3 de dezembro de 2011

ATENÇÃO!!! SAIU NOMEAÇÃO HOJE

Saiu hoje nomeação dos já convocados para a 1º DIRES.


Esta no Diário Oficial, no menu EXECUTIVO sub-menu  DECRETOS.


CLICK AQUI E VEJA.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

PROTESTO DE SERVIDORES DO HGE

Servidores do HGE fazem protesto e ameaçam paralisar

Da Redação
 A TARDE
Categoria se queixa da superlotação da unidade e das punições por atrasos superiores a 15 minutos
Categoria se queixa da superlotação da unidade e das punições por atrasos superiores a 15 minutos
Os servidores do Hospital Geral do Estado (HGE), com o apoio do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado da Bahia (Sindsaúde - Ba), estiveram reunidos na manhã desta quarta-feira, 30, em um café da manhã, como forma de protesto contra as péssimas condições de trabalho que afirmam enfrentar na unidade. A iniciativa é uma forma de chamar a atenção da população e dar visibilidade à insatisfação dos trabalhadores, segundo a diretora do Sindsaúde, Tereza Deiró.
No evento, que durou cerca de duas horas, com início às 7h30, a categoria e os sindicalistas se queixaram da superlotação da unidade médica e das punições por atrasos superiores a 15 minutos. A implantação da avaliação de desempenho com base na frequência é uma das principais reclamações dos funcionários.
De acordo com Tereza, após o terceiro dia com atrasos superiores a 15 minutos, o funcionário pode ser punido com um dia de falta. "Não há mais a possibilidade de compensar o atraso em outro momento. No entanto, não se leva em consideração o tempo que um funcionário passa do seu horário para poder atender a grande demanda de pacientes que chegam na unidade", disse a diretora.  

Para a categoria, a administração deveria levar em consideração as reais condições que os servidores enfrentam no dia-a-dia no hospital para o desenvolvimento de suas atividades. "Por ser referência no Estado, principalmente em acidentes com trauma, o pronto atendimento (PA) do HGE chega a receber o dobro de pacientes que tem capacidade. A demanda é sempre muito grande. Os profissionais acabam dobrando ou passando do horário, mas, pelo visto, isso não é levado em consideração". 

A categoria também está contra a implantação do sistema de Banco de Horas - possibilidade de compensação de horas trabalhadas além do expediente ao invés do pagamento da hora extra. Para eles, as horas trabalhadas devem ser pagas.

A insatisfação em relação à falta de revisão do Plano de Cargos e Salários também está entre as pautas de reivindicações da categoria. "Tem servidor que trabalha há 28 anos recebendo o mesmo salário de quem acabou de integrar o quadro de funcionários", contou Tereza.

Próximos passos - Ainda segundo a diretora do Sindsaúde, uma reunião com a gestão do HGE estava prevista para esta tarde, mas foi adiada e deve ocorrer nesta sexta-feira, 2, ou na próxima terça-feira, 6. Caso a conversa não seja favorável às reivindicações da categoria, os servidores pretendem realizar uma paralisação de 24 horas. A data ainda não está definida.
Sesab - A Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) afirmou, por meio de nota, que vem convocando profissionais do concurso de 2008 para suprir a grande demanda nos hospitais da sua rede, particularmente em Salvador.
De acordo com o órgão, esse fato se deve a falta de estruturação das unidades de média complexidade, que levaria a população a buscar atendimento nas unidades hospitalares mesmo quando são problemas que deveriam ser resolvidos em postos de saúde. Segundo oórgão, ao todo foram convocados 3715 profissionais.
Por fim, a Sesab informou que em caso de "não comparecimento dos profissionais aos seus postos de trabalho sem a devida justificativa, a diretoria da unidade encaminha ao setor de recursos humanos a sua freqüência negativa, cabendo as medidas administrativas previstas"

A TARDE